MALUCO  BELEZA

De Philippe Pinel, o pioneiro no tratamento das doenças mentais, no século 18, a Raul Seixas, muito foi revelado sobre o funcionamento da mente. E também sobram dúvidas. Nosso ritmo tecnológico afetará nosso equilíbrio mental de alguma maneira? Como saber se estou deprimido? Como prevenir? Queremos incentivar você a refletir sobre essas e outras questões

 MALUCO  BELEZA

De Philippe Pinel, o pioneiro no tratamento das doenças mentais, no século 18, a Raul Seixas, muito foi revelado sobre o funcionamento da mente. E também sobram dúvidas. Nosso ritmo tecnológico afetará nosso equilíbrio mental de alguma maneira? Como saber se estou deprimido? Como prevenir? Queremos incentivar você a refletir sobre essas e outras questões

ADIVINHE QUAL É A CIDADE COM A MAIOR INCIDÊNCIA DE TRANSTORNOS MENTAIS NO MUNDO.

 É NÓIS, MANO 

30% dos paulistanos sofrem de algum tipo de transtorno mental: síndrome do pânico, fobias, transtorno obsessivo-compulsivo e desordens de estresse pós-traumático, ansiedade social e ansiedade generalizada

A Organização Mundial de Saúde não tem uma definição oficial para o termo saúde mental porque as referências mudam em diferentes culturas. De maneira muito simplificada, é o nível de qualidade de vida cognitiva e emocional, sem a existência de uma doença mental. E o que isso quer dizer?
Isso quer dizer que a mente também fica doente. E ainda compromete a saúde física, por tabela. Os velhos maus hábitos que você já está cansado de saber – trabalhar demais, relações e ambientes estressantes, beber ou fumar em excesso, uso de drogas, dormir pouco e se alimentar mal –, por períodos prolongados, ajudam no surgimento de distúrbios ou transtornos. É assim que os clínicos tratam esses problemas porque, felizmente, são poucos os casos que apresentam todas as características de uma doença mental. Pessoas que possuam histórico familiar de depressão, esquizofrenia ou demência devem ficar atentos e buscar tratamentos preventivos com orientação médica. A boa notícia é que, na grande maioria dos casos, a solução é simples. E você também sabe, de cor, os bons hábitos: prática regular de exercícios, boa alimentação, boas noites de sono e o equilíbrio entre trabalho e vida social. É difícil? Claro que é. Mas não é preciso virar um monge da noite para o dia. Aos poucos, implemente pequenas mudanças até que se tornem um hábito. Depois, outra e outra e assim por diante. É preciso levar isso a sério, porque os números assustam: são mais de 300 milhões de pessoas com depressão no mundo.
A Organização Mundial de Saúde não tem uma definição oficial para o termo saúde mental porque as referências mudam em diferentes culturas. De maneira muito simplificada, é o nível de qualidade de vida cognitiva e emocional, sem a existência de uma doença mental. E o que isso quer dizer?
Isso quer dizer que a mente também fica doente. E ainda compromete a saúde física, por tabela. Os velhos maus hábitos que você já está cansado de saber – trabalhar demais, relações e ambientes estressantes, beber ou fumar em excesso, uso de drogas, dormir pouco e se alimentar mal –, por períodos prolongados, ajudam no surgimento de distúrbios ou transtornos. É assim que os clínicos tratam esses problemas porque, felizmente, são poucos os casos que apresentam todas as características de uma doença mental. Pessoas que possuam histórico familiar de depressão, esquizofrenia ou demência devem ficar atentos e buscar tratamentos preventivos com orientação médica. A boa notícia é que, na grande maioria dos casos, a solução é simples. E você também sabe de cor, os bons hábitos: prática regular de exercícios, boa alimentação, boas noites de sono e o equilíbrio entre trabalho e vida social. É difícil? Claro que é. Mas não é preciso virar um monge da noite para o dia. Aos poucos, implemente pequenas mudanças até que se tornem um hábito. Depois, outra e outra e assim por diante. É preciso levar isso a sério, porque os números assustam: são mais de 300 milhões de pessoas com depressão no mundo.

E QUAL É O PAÍS SUL-AMERICANO COM MAIS CASOS DE DEPRESSÃO?

 SI, NOSOTROS 

No Brasil, 11,5 milhões sofrem de depressão e 18,7 milhões de transtorno de ansiedade, respectivamente 5,8% e 9,3% da população

É DEPRESSÃO
OU É TRISTEZA?
Os brasileiros gastam R$ 3,4 bilhões em antidepressivos e mais R$ 3,8 bilhões em analgésicos
E a venda desses produtos está crescendo com os anos. A maior parte do consumo é fruto de desinformação, pois muitos acreditam que qualquer sentimento de tristeza deve ser tratado com remédio. Isso não só é errado como esconde dois grandes riscos: a dependência e o aumento progressivo da dosagem. Muitos desses remédios viciam com facilidade e o corpo vai se tornando mais resistente aos seus efeitos.

Lidar com a tristeza é parte importante da formação de nossa inteligência emocional. Qualquer pessoa passa por situações de sofrimento intenso que diminui progressivamente com o tempo. Depressão é quando esse sentimento tem duração e intensidade muito fora dos padrões, persistindo por semanas ou meses. Quando isso vem acompanhado de profundo desinteresse por atividades que antes alegravam, alterações no apetite e no sono, pensamentos exageradamente pessimistas, ansiedade, entre outros, é a hora de procurar um psiquiatra. Nem todos os tratamentos envolvem o uso de medicamentos. Quando necessário, eles são receitados por um período e a dosagem é reduzida durante o tratamento.

Clique abaixo e acesse o YouTube do Dr. Drauzio Varella para saber mais sobre a depressão e o consumo de medicamentos antidepressivos.

É DEPRESSÃO OU É TRISTEZA?
Os brasileiros gastam R$ 3,4 bilhões em antidepressivos e mais R$ 3,8 bilhões em analgésicos
E a venda desses produtos está crescendo com os anos. A maior parte do consumo é fruto de desinformação, pois muitos acreditam que qualquer sentimento de tristeza deve ser tratado com remédio. Isso não só é errado como esconde dois grandes riscos: a dependência e o aumento progressivo da dosagem. Muitos desses remédios viciam com facilidade e o corpo vai se tornando mais resistente aos seus efeitos.

Lidar com a tristeza é parte importante da formação de nossa inteligência emocional. Qualquer pessoa passa por situações de sofrimento intenso que diminui progressivamente com o tempo. Depressão é quando esse sentimento tem duração e intensidade muito fora dos padrões, persistindo por semanas ou meses. Quando isso vem acompanhado de profundo desinteresse por atividades que antes alegravam, alterações no apetite e no sono, pensamentos exageradamente pessimistas, ansiedade, entre outros, é a hora de procurar um psiquiatra. Nem todos os tratamentos envolvem o uso de medicamentos. Quando necessário, eles são receitados por um período e a dosagem é reduzida durante o tratamento.

Clique abaixo e acesse o YouTube do Dr. Drauzio Varella para saber mais sobre a depressão e o consumo de medicamentos antidepressivos.

199 MIL

Esse é o número aproximado de brasileiros que se ausentaram do trabalho por transtornos mentais e comportamentais e receberam benefícios relacionados a essas enfermidades, em 2016. É quase o mesmo público de três shows do U2, na última turnê brasileira.

FONTE / ÉPOCA NEGÓCIOS / EDITORA GLOBO / FOTO / U2 DIVULGAÇÃO
› LEIA A MATÉRIA COMPLETA

MEDITAÇÃO FAZ BEM?
NÃO PARA TODO MUNDO
Há inúmeros aplicativos e cursos que ensinam a meditar e a maior parte das pessoas se beneficia dessa prática. Mas alguns podem reagir de forma negativa
“Tentei seguir adiante com a minha vida, mas foi impossível. Não podia sair da cama, não conseguia comer. Estava tendo sintomas de terror e pânico”. Esse é um trecho do relato de uma francesa depois de um retiro de meditação, em Manchester, no Reino Unido, apresentado em uma reportagem da BBC. As crises de Suzanne (nome fictício) se tornaram tão violentas que ela deu entrada em um hospital psiquiátrico. Um ano depois, ela ainda toma remédios antipsicóticos. O caso de Suzanne é extremo, mas não é incomum. Tim Lomas, um psicólogo de Londres, publicou um artigo acadêmico sobre homens que estavam fazendo meditação por razões não clínicas. Ainda que a maioria tenha se beneficiado da prática, 25% deles relataram profundo desconforto. Ainda assim, um deles definiu a experiência como “uma das mais transformadoras de sua vida”. O jornalista da BBC conclui a matéria com uma reflexão: a meditação tem potencial de pôr a vida de cabeça para baixo. Isso pode ser bom, mas também pode ser muito mais do que alguém esperava.

FONTE / BBC NEWS MAGAZINE / LEIA A MATÉRIA COMPLETA

MEDITAÇÃO FAZ BEM? NÃO PARA TODO MUNDO
Há inúmeros aplicativos e cursos que ensinam a meditar e a maior parte das pessoas se beneficia dessa prática. Mas alguns podem reagir de forma negativa
“Tentei seguir adiante com a minha vida, mas foi impossível. Não podia sair da cama, não conseguia comer. Estava tendo sintomas de terror e pânico”. Esse é um trecho do relato de uma francesa depois de um retiro de meditação, em Manchester, no Reino Unido, apresentado em uma reportagem da BBC. As crises de Suzanne (nome fictício) se tornaram tão violentas que ela deu entrada em um hospital psiquiátrico. Um ano depois, ela ainda toma remédios antipsicóticos. O caso de Suzanne é extremo, mas não é incomum. Tim Lomas, um psicólogo de Londres, publicou um artigo acadêmico sobre homens que estavam fazendo meditação por razões não clínicas. Ainda que a maioria tenha se beneficiado da prática, 25% deles relataram profundo desconforto. Ainda assim, um deles definiu a experiência como “uma das mais transformadoras de sua vida”. O jornalista da BBC conclui a matéria com uma reflexão: a meditação tem potencial de pôr a vida de cabeça para baixo. Isso pode ser bom, mas também pode ser muito mais do que alguém esperava.

FONTE / BBC NEWS MAGAZINE / LEIA A MATÉRIA COMPLETA

A INTERNET E O
CRESCIMENTO DE
DISTÚRBIOS MENTAIS
ENTRE OS JOVENS
A pressão de sempre parecer feliz e o cyberbullying têm afetado usuários da internet, principalmente, nas redes sociais
O Instituto de Política de Educação do Reino Unido encontrou uma ligação entre o uso “extremo” da rede por adolescentes – com destaque para as mídias sociais – e certos problemas com sua saúde mental. Embora não seja conclusivo, o estudo observou que jovens que gastam mais de três horas conectados têm duas vezes mais chances de relatar algum problema. No Brasil, o número de suicídios entre jovens de 15 a 29 anos cresceu 10% desde 2002, segundo o Mapa da Violência 2017, publicado pelo Ministério da Saúde. A percepção de que todos são exageradamente felizes e a dificuldade em se relacionar fora do ambiente digital têm afetado adolescentes com baixa autoestima e os levado à depressão e ao suicídio.

FONTE / BBC BRASIL / LEIA A MATÉRIA COMPLETA

QUER CASAR
COMIGO, SIRI?
No filme “Her”, “Ela” em português, o personagem de Joaquin Phoenix se apaixona pelo sistema operacional de seu computador. A inteligência artificial da máquina conversa com ele – a voz pra lá de charmosa é a de Scarlett Johansson – e o enredo faz pensar sobre o futuro desse tipo de interação.
A INTERNET E O CRESCIMENTO DE DISTÚRBIOS MENTAIS ENTRE OS JOVENS
A pressão de sempre parecer feliz e o cyberbullying têm afetado usuários da internet, principalmente, nas redes sociais
O Instituto de Política de Educação do Reino Unido encontrou uma ligação entre o uso “extremo” da rede por adolescentes – com destaque para as mídias sociais – e certos problemas com sua saúde mental. Embora não seja conclusivo, o estudo observou que jovens que gastam mais de três horas conectados têm duas vezes mais chances de relatar algum problema. No Brasil, o número de suicídios entre jovens de 15 a 29 anos cresceu 10% desde 2002, segundo o Mapa da Violência 2017, publicado pelo Ministério da Saúde. A percepção de que todos são exageradamente felizes e a dificuldade em se relacionar fora do ambiente digital têm afetado adolescentes com baixa autoestima e os levado à depressão e ao suicídio.

FONTE / BBC BRASIL / LEIA A MATÉRIA COMPLETA

QUER CASAR
COMIGO, SIRI?
No filme “Her”, “Ela” em português, o personagem de Joaquin Phoenix se apaixona pelo sistema operacional de seu computador. A inteligência artificial da máquina conversa com ele – a voz pra lá de charmosa é a de Scarlett Johansson – e o enredo faz pensar sobre o futuro desse tipo de interação.
COMBATENDO
O ESTRESSE
NO TRABALHO
Não há como evitar, mas podemos minimizá-lo
Cada pessoa reage de uma maneira diferente ao estresse, por isso não existe uma fórmula. Mas fazer exercício físico é essencial para uma boa prevenção. Se você não gosta de correr, pedale; se não gosta de pedalar, faça yoga, pilates ou aquilo que lhe agradar, mas faça algo. Segundo a Organização Mundial de Saúde, 30 minutos diários de atividade é o suficiente para prevenir inúmeras doenças. Só não vá sair por aí bancando o atleta olímpico. Se você é sedentário, consulte um médico para saber o tipo de exercício, a intensidade e a frequência que funcionarão bem no seu caso.

Além de mexer o corpo, boa alimentação e dormir bem, há algumas dicas na administração do seu tempo que podem ajudar:

Anote as suas responsabilidades no trabalho e fora dele
Reserve os horários em que você é mais produtivo para as tarefas mais complicadas
Use os horários menos produtivos para tarefas simples, como responder e-mails
Converse com seu chefe e delineie claramente quais são as suas responsabilidades
Também converse com seu chefe quando sentir-se sobrecarregado por um longo período de tempo
Faça pequenas pausas no trabalho. Ande um pouco, faça exercícios de respiração e alongamento
Não abuse do consumo de café – se puder, troque por chá verde – e incorpore frutas ao seu cardápio
Quando tiver problemas financeiros, faça uma planilha e organize o seu orçamento
Se necessário, converse com o gerente de seu banco para solicitar um empréstimo a juros menores

COMBATENDO O ESTRESSE NO TRABALHO
Não há como evitar, mas podemos minimizá-lo
Cada pessoa reage de uma maneira diferente ao estresse, por isso não existe uma fórmula. Mas fazer exercício físico é essencial para uma boa prevenção. Se você não gosta de correr, pedale; se não gosta de pedalar, faça yoga, pilates ou aquilo que lhe agradar, mas faça algo. Segundo a Organização Mundial de Saúde, 30 minutos diários de atividade é o suficiente para prevenir inúmeras doenças. Só não vá sair por aí bancando o atleta olímpico. Se você é sedentário, consulte um médico para saber o tipo de exercício, a intensidade e a frequência que funcionarão bem no seu caso.

Além de mexer o corpo, boa alimentação e dormir bem, há algumas dicas na administração do seu tempo que podem ajudar:

Anote as suas responsabilidades no trabalho e fora dele
Reserve os horários em que você é mais produtivo para as tarefas mais complicadas
Use os horários menos produtivos para tarefas simples, como responder e-mails
Converse com seu chefe e delineie claramente quais são as suas responsabilidades
Também converse com seu chefe quando sentir-se sobrecarregado por um longo período de tempo
Faça pequenas pausas no trabalho. Ande um pouco, faça exercícios de respiração e alongamento
Não abuse do consumo de café – se puder, troque por chá verde – e incorpore frutas ao seu cardápio
Quando tiver problemas financeiros, faça uma planilha e organize o seu orçamento
Se necessário, converse com o gerente de seu banco para solicitar um empréstimo a juros menores

A mente é como o estômago. Não é o quanto você coloca dentro dela que conta, mas o quanto ela digere

Albert Jay Nock, 13 de agosto de 1870 – 19 de agosto de 1945, escritor americano

CURTIU? COMPARTILHE COM AMIGOS

CURTIU? COMPARTILHE COM AMIGOS

© 2018, It’sSeg Seguros Inteligentes.

© 2018, It’sSeg Seguros Inteligentes.